Nesse período foram defendidas 3 teses.

Teses de 2011
 

Licia Maria Kelmer Paranhos

Título: O mundo justo está nas mãos de quem? Uma análise da obra de J.M. Coetzee

Orientador: Ronaldo Lima Lins Páginas: 213



Tomando como base o cenário presente em que as subjetividades pouco se delimitam, em que as crises identitárias colocam o homem à mercê de uma obscura realidade e de uma temporalidade pouco reconhecível, este trabalho investiga na obra de J.M.Coetzee a representação dessa crise por que passa o homem contemporâneo.Como objeto de análise foram selecionadas as obras Desonra (1999), A Vida dos Animais (1999) , Elizabeth Costello (2003) e Homem Lento (2005) de J.M.Coetzee. A pesquisa trata da maneira como a produção ficcional e suas relações contextuais com a cultura e a sociedade apontam para novos paradigmas culturais que reflitam as urgentes demandas que se impõem ao homem contemporâneo. Desse modo, a investigação desenvolve-se em torno dos seguintes eixos temáticos: a crise de representação que se agudizou nos últimos anos do século XX, problematizando questões como o esvaziamento do sentido histórico e de sua matriz utópica a partir da descrença em um conceito de verdade, bem como a impossibilidade da experiência plena e de sua transmissibilidade; a crise de valores que se inscreve neste contexto, cenário em permanente desestabilização das subjetividades e das marcas identitárias, e a maneira como essa crise desdobra uma reflexão à luz da arte literária, em cuja representação se configuram a visão de um mundo opressivo e anárquico e a necessidade de se estabelecer novos padrões éticos que dêem conta desta realidade na qual o sujeito está vulnerável a circunstâncias inimagináveis. O método utilizado é o da sociologia crítica da cultura, iluminado pelo pensamento da filosofia na medida do necessário e do possível. A pesquisa procura mostrar como a crise de representação do sujeito, condicionada ao esvaziamento da crença em um projeto utópico, desdobra-se na reflexão de uma nova base ética que conduza “as escolhas” do século XXI.

 

Patricia da Silva Carmello

Título: Memória e esquecimento no Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa: travessia e melancolia

Orientadora: Vera Lins Páginas: 225



A presente tese tem por objetivo pesquisar as noções de memória e esquecimento no romance Grande Sertão: veredas, de João Guimarães Rosa, tomando como principal orientação a fala de Riobaldo, seu narrador. Partindo das articulações entre a memória coletiva, a memória individual e a narrativa, encontra-se uma concepção de memória, no romance, como uma terceira instância, estabelecida sempre como negatividade, pautada nas concepções de inconsciente e real, de Freud e Lacan; e na concepção de um tempo-de-agora, ou tempo entrecruzado de Walter Benjamin. A tensão entre a travessia e a melancolia insere-se tanto nos aspectos históricos e coletivos da rememoração – no testemunho do narrador sobre a cidade que vem acabar com o sertão – como nos entraves para atravessar o trauma relacionado a Diadorim. O processo de rememoração de Riobaldo é concebido como composto de temporalidades que se sobrepõem, como uma montagem não-linear e não-objetiva, constituída a partir dos erros e fracassos da memória, que apontam para sua dimensão de fantasma, de ficção e de esquecimento.

 

Peri Santoro

Título: A hermenêutica da performance musical: uma poética da interpretação da obra de arte

Orientador: Antonio José Jardim e Castro Páginas: 212



Este trabalho de hermenêutica trata da interpretação poética de obras musicais através da apreciação e da performance. Foram feitas abordagens interpretativas de gêneros e obras musicais significativas no percurso artístico do autor, do ponto de vista da apreciação poética e pedagógica, tais como as Cantigas Medievais, a Ópera Orfeo de Monteverdi e a Seresta nº 5 de H. Villa-Lobos: Modinha. Também foi estudado o conto “Minha Gente” da obra “Sagarana” de Guimarães Rosa, de onde se procurou desvelar a música do texto. O revival da música antiga, a questão do erudito e do popular, o oral e o escrito, a permanência e atualidade da obra de arte e a inegalité, do ponto de vista da poética da obra, foram questões norteadoras deste exercício hermenêutico. A escuta poética e o diálogo profícuo entre obra e ouvinte resultaram nos métodos de interpretação poética, razão de ser deste trabalho.

 

Coordenação

Coordenadora: Profª. Flavia Trocoli

Vice-coordenador:Prof. Alberto Pucheu

Atendimento: Noêmia Costa
posciencialit@letras.ufrj.br

Contate-nos

O PPGCL tem sede no campus da Faculdade de Letras da UFRJ. Saiba nosso endereço clique aqui.

Endereço

Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura - PPGCL
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F. 323
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ

ATENDIMENTO AO PÚBLICO


Terça-feira e quinta-feira 9h às 13h

Quarta-feira 9h às 16h