Nesse período foram apresentadas 6 teses.

Teses de 2016
 

Ronaldo Eduardo Ferrito Mendes

Título: A ESSÊNCIA DO AGIR E O CÍRCULO DA EXISTÊNCIA:INSTÂNCIAS DA PERFORMANCE

Orientador: Prof. Dr. Manuel Antônio de Castro Páginas: 105



A tese em questão se compreende enquanto um posicionar-se (thesis) essencial pelo pensar o nosso estar na existência a partir de um agir originário, isto é, um agir auto e ontopoético, numa permanente referência à performance. “Pensar o nosso estar na existência” e o agir (não sendo “pensar sobre”) necessita de uma travessia apropriada, do perfazer-se de um método próprio que se torne o próprio performar – esse assume o movimento do que passaremos a compreender e nomear por ekporeusis (imergir na pro-veniência originária das questões que, no percurso, emergem). Sendo o próprio performar, o método se torna de fato metá-hodós (caminho através do qual algo vem a ser, surge e se torna) para a performance e para o agir poético no transcurso do círculo existencial, com suas instâncias (imagem e presença), a ser percorrido. Cada instância demarca o âmbito e o centro de algumas questões radicais a serem pensadas ex-centricamente (imergimos ao centro da questão para dele emergir, ex-, o sentido que guarda para nosso estar – no mundo). Cada instante nas instâncias encerra e descerra o que nos concerne (cum cernere), e pelo que se performa a nossa pro-cura (cura, cuidado e cura) – as questões nas quais nos movemos (moção), por co-moção, em nosso agir. É uma tese (posição de nosso estar na existência) nunca sobre, mas por e para esse agir. Agir e estar – no ser – é a primeira questão de um performar. Por essa posição, pensamos e performamos pela ekporeusis, isto é, em pro-cura e pela pro-veniência essencial, as questões radicais para a ação e, portanto, para a própria performance, tal como a sua própria essência, mas também a essência das representações, da ética, do agir, da existência, de corpo, o sentido, a presença, o estar, ser com e entre; todas no horizonte do agir e da performance, na travessia do círculo da existência, pelas instâncias da imagem e da presença.

 

Patricia Maria dos Santos Santana

Título: O PUER AETERNUS E O PAI RECRIADO PELA AMBIVALÊNCIA NO JOGO CRIATIVO PÓS-MODERNO DE HILDA HILST

Orientadora: Helena Parente Cunha Páginas:280



A poesia e a prosa de Hilda Hilst estão muito marcadas pela presença de determinados componentes responsáveis por tornar a sua escrita peculiar. A múltipla representação da figura paterna em seus discursos particulariza seu trabalho dentro de uma perspectiva pós-moderna, refletindo intenções nas entrelinhas dos textos da autora, como, por exemplo, manifestar uma eterna preocupação em não crescer e eternizar-se na condição de puer aeternus (puella aeterna), ou seja, na condição de criança eterna que busca atenção e, por consequência, gera bastante trabalho. Apresentar-se puer/puella foi estratégia para se mostrar também como ser desejante. Analisar essas questões são partes da proposta deste trabalho que procura entender como Hilst pode mostrar-se assim e abrir caminhos para enfrentar também os estereótipos de uma sociedade ainda enraizada no conservadorismo. Prenderemo-nos a um estudo da obra poética Do Desejo, que é uma reunião de sete livros de poemas e de três obras narrativas da autora intituladas O caderno Rosa de Lori Lamby, Cartas de um Sedutor e A Obscena Senhora D.. As mencionadas obras revelam bem, na sua criação artística, as ambiguidades relacionadas ao nome do pai com o sentimento puer .

 

Maria Rita Vieira Coelho

Título: CASOS ARQUIVADOS CRÔNICAS E PARECERES DE MACHADO DE ASSIS SOBRE POLÍTICAS LEGISLATIVAS EMANCIPATÓRIAS

Orientador: Profa Dra Teresa Cristina Meireles de Oliveira Páginas:120



Casos arquivados – crônicas e pareceres de Machado de Assis sobre políticas legislativas emancipatórias é tese de Doutorado em Ciência da Literatura, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que encerra os estudos de pós-graduação stricto sensu iniciados em O caso Quincas Borba, dissertação de Mestrado em Letras, da Universidade Federal Fluminense, em que foram enfatizados aspectos jurídicos na arquitetura da produção artística de Machado de Assis, realçando as relações, por ele estabelecidas, entre a Literatura, a História, o Direito e a Sociedade.

 

Mario René Rodríguez Torres

Título: A LITERATURA FORA DO LUGAR NA AMÉRICA LATINA: TRÊS MOMENTOS INDECISIVOS (UM CONTO INACABADO DE GUIMARÃES ROSA, DOIS TEXTOS IRREMEDIÁVEIS DE BOLAÑO E A ESCRITA POSTERGADA DE MACEDONIO).

Orientador: Prof. Luis Alberto Nogueira Alves. Páginas: 245



Neste trabalho defendemos que não é possível dizer que a literatura é ou alguma vez foi uma ideia no lugar na América Latina. Tal defesa parte da constatação de que não houve formação de Estados nacionais soberanos e inclusivos, e não é mais possível acreditar que haverá; motivo pelo qual falar de uma literatura brasileira ou latino- americana formada perdeu o sentido. Como consequência, afirmamos que é preciso reler com outra perspectiva os autores que foram considerados o ponto de chegada de um processo formativo. Em um primeiro momento, nos ocuparemos de alguns textos de um deles, Guimarães Rosa, escritor que, entre outras coisas, predisse que para o ano 2000 o colonialismo chegaria ao seu fim na América Latina. Posteriormente iremos analisar o conto “El gaucho insufrible” de Roberto Bolaño, que transcorre na crise da Argentina de 2001, um dos acontecimentos que desmentiram a previsão de Rosa. A análise do conto será seguida da do ensaio “Literatura + enfermedad = enfermedad”. Estes textos nos permitirão indagar sobre o significado de escrever “literatura” desde a “América Latina” em tempos sem perspectiva formativa. Renunciando intencionalmente a linearidade histórica, a tese termina com um estudo de Macedonio Fernández, cujos escritos não tem como horizonte a formação de uma literatura nem de um Estado nacional, mas sua histerização e suspensão. Com a análise dos autores citados tentaremos mostrar que se já não é mais possível acreditar em um fim formativo nos velhos termos, também não é possível simplesmente deixar de falar de literatura e da América Latina, nem de reivindicar uma formação global e local menos assimétrica.

 

Fábio Galera Moreira

Título: SER HOMEM NO GRANDE SERTÃO: TRAVESSIA, TEMPO, SER

Orientador: Professor Dr. Manuel Antônio de Castro Páginas: 235



Dos muitos temas que poderiam ser ressaltados a partir da obra, um chamou mais atenção: a temática do tempo. As questões gerais que irão orientar esta tese giram em torno da temática do tempo, bem como em torno daquilo que se relaciona com as questões do tempo na obra Grande Sertão: Veredas. Quais sejam: o que é o tempo, na obra? O que diz o tempo na obra? Como ele se realiza? Em virtude do quê o tempo é tempo em Grande Sertão: Veredas? Como a narrativa se oferece a uma interpretação temporal? Todas essas questões visam explicitar o que vem a ser a vida do homem enquanto destino de existência, destino de liberdade e ação, em uma palavra, destinação. No caso de Riobaldo, seu destino foi permeado pelo medo e pela coragem. Assim, medo e coragem também constituem a temática da temporalidade em Grande sertão: veredas. Tudo isso perfaz a destinação do homem enquanto um acontecimento extraordinário. Resguardar a realização desse acontecimento é tarefa de todo homem e isto é o que pretendemos demonstrar como sendo a travessia de Riobaldo.

 

Cristiane Brito de Oliveira

Título: Mulheres orientais na literatura: a desconstrução de um estereótipo orientalista na obra de Gibran Khalil Gibran.

Orientador: Eduardo de Faria Coutinho.  Páginas: 269



A tese aqui apresentada tem como objetivo o tema da mulher oriental árabe. Ao traçarmos um contraponto entre o estereótipo da mulher fatal oriental, impresso nomeadamente na mulher orientalista do século XIX, amplamente estudada por Edward Said, e a mulher oriental presente na obra de Gibran Khalil Gibran, em que o papel tradicional da mulher é altamente questionado, discutiremos a condição da mulher no mundo árabe, especialmente no Líbano, e avaliaremos a contribuição que suas obras tiveram para a mudança dessa visão. Nosso corpus será composto de narrativas produzidas em momentos distintos de sua carreira, e, em nossa análise desse material, serão focalizadas questões como a casa, a família e o casamento, para mostrarmos como se construiu a dominação masculina e como ela foi habilmente denunciada por Gibran.

 

Coordenação

Coordenadora: Profª. Flavia Trocoli

Vice-coordenador:Prof. Alberto Pucheu

Atendimento: Noêmia Costa
posciencialit@letras.ufrj.br

Contate-nos

O PPGCL tem sede no campus da Faculdade de Letras da UFRJ. Saiba nosso endereço clique aqui.

Endereço

Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura - PPGCL
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F. 323
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ

ATENDIMENTO AO PÚBLICO


Terça-feira e quinta-feira 9h às 13h

Quarta-feira 9h às 16h