Nesse período foram defendidas 24 dissertações

Dissertações de 2006

Aline de Mattos da Costa

Título: Memória poética: a constituição do mundo memorável em Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa

Orientador:Manuel Antônio de CastroPáginas: 188


Estudo da Memória Poética, baseado na obra Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa. Propõe reflexões sobre as questões do mito, da verdade, da linguagem, da narrativa, da travessia como poiesis. Investiga as concepções: memória como reminiscência e memória como vigor criativo.

 

André Vinicius Pessôa

Título:Uma poética da musicalidade na obra de João Guimarães Rosa

Orientador: Manuel Antônio de CastroPáginas: 173


A poética e o sertão na obra de João Guimarães Rosa. As Musas. Pensamento e poesia: os mesmos princípios. A inspiração dos poetas através de sua relação com o sagrado. Seo Aristeo, o inspirado personagem do poema “Campo Geral”. A Musicalidade e a Escrita. Os elementos da música: o ritmo, a harmonia e melodia. O “Corpo de Baile”, de Guimarães Rosa, como uma orquestração musical. A sinfonia rosiana dos viventes. A escuta cuidadosa dos ruídos da noite através do Chefe Zequiel, personagem do poema “Buriti”. A alquimia silenciosa que rege a criação da palavra poética. Interpretações das novelas que compõem o livro “No Urubuqùaquá, no Pinhém”: “O Recado do Morro”, “Cara-de-Bronze” e “A Estória de Lélio e Lina”. Ensaios sobre os músicos, violeiros e cantadores, destacados personagens destas novelas: Laudelim Pulgapé, João Fulano e Pernambo.

 

Angelo Ricardo Grisoli

Título:Uma teoria poética: filosofia, política e sociedade

Orientador: Antonio José Jardim e Castro Páginas: 110


O presente trabalho tem por objetivo pensar a interação entre o conhecimento poético, o conhecimento filosófico e o conhecimento político, considerando os elementos da vida moderna em termos societários. Portanto, esta pesquisa procura discutir a metamorfose do saber como unidade. Nesse sentido, a análise dos elementos teóricos que fundamentam o estudo dessa unidade provilegia o papel fundamental de uma concepção crítica sobre a modernidade, especialmente a autodeterminação da civilização. Na raiz do processo de autodeterminação da civilização, a técnica e a estrutura tecnológica do sistema comandam todas as direções da sociedade. Contemplando o conhecimento poético como espaço de vivência democrática, o tema demanda uma atenção para diferentes concepções de poesia e filosofia, compreendendo que ambos os saberes se originam na linguagem.

 

Antonella Flavia Catinari

Título:Monteiro Lobato e o projeto de educação interdisciplinar

Orientador:Ronaldo Lima Lins Páginas: 172



O presente trabalho de dissertação propõe discutir o projeto literário-pedagógico contido na obra infantil de Monteiro Lobato, com o objetivo de verificar a importância da interdisciplinaridade presente na obra e de contribuir na ampliação da discussão a respeito da produção desse autor, sobretudo entre os professores de Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Para tal, estabeleceu-se um histórico da construção do conceito de infância, das origens da literatura infantil e da evolução dos estudos teóricos sobre essa literatura, demonstrando que, para tratar desse objeto de estudo, faz-se necessário também trazer uma abordagem interdisciplinar, que ligue, notadamente, as áreas de Letras e Educação. Fez-se, ainda, uma abordagem específica da literatura infantil brasileira, enfocando aquela produzida antes do surgimento da obra de Lobato, para poder contrapô-la às inovações trazidas pelo autor paulista. Dados da vida biográfica de Monteiro Lobato serviram para contextualizar historicamente as discussões, uma vez que o autor produziu sempre uma literatura “engajada”. Optou-se, nesse caso, por utilizar a correspondência de Lobato como suporte e abriu-se um espaço para a reflexão sobre essa escolha. Abordou-se o conjunto de idéias sobre educação de Monteiro Lobato, sobretudo a concepção do Sítio como “uma escola progressista” e a formação do leitor. Acresceu-se a essa abordagem uma breve análise da situação educacional brasileira durante a Primeira República, para que, em seguida, se pudesse estabelecer um cotejo entre Lobato e os pensadores da Escola Nova e, mais adiante, acrescentar as idéias de Georges Snyders a respeito da educação através da alegria do encontro com as obras de arte. Para ilustrar todo esse percurso, ao final, aplicou-se tudo o que foi discutido em uma leitura de uma das obras mais importantes do conjunto de livros para crianças de Lobato, A chave do tamanho.

 

Claudia de Mattos Paiva

Título:A consciência crítica da criação: em crônicas selecionadas de Tarsila do Amaral

Orientador: Angélica Soares Páginas: 112



Exposição das crônicas de Tarsila do Amaral. A participação feminina no espaço artístico e literário, através de pesquisa da história da arte. As transformações semânticas do vocábulo crônica e seu estabelecimento como espaço de expressão memorialística. A recuperação histórica da arte a partir do ponto de vista de Tarsila do Amaral. A formação e a presença de Tarsila do Amaral, no espaço artístico e literário do Brasil, como exemplo da participação feminina no contexto sócio-cultural da época. Estudo de crônicas escolhidas da autora, entre 1936 e 1952, com o objetivo de dar visibilidade a uma produção literária ainda situada fora do domínio crítico-literário.

 

Cristiane Agnes Stolet Correia

Título:O trágico em questão: a reunião do fogo a despontar no sangueY

Orientador: Alberto PucheuPáginas: 116



O foco da presente dissertação é o trágico. O emergir desta questão se dará principalmente pelo revisitar mítico (especialmente dionisíaco) e pelo perpassar das ambigüidades inerentes ao fogo, que o transpõem à condição de símbolo essencialmente trágico, onde vige a reunião do todo. A esse contexto se insere a interpretação de Bodas de Sangue, de Federico García Lorca. Na reunião do fogo a despontar no sangue, vige o limite do homem. Mas a busca de se adentrar a questão do trágico se revigora na tentativa de resgatar o seu saber e restituí-lo à sua condição de pensamento originário. Convergindo mitos, símbolos e poesia como que pelo atravessar de um raio, lança-se inexoravelmente na afirmação incondicional do mundo trágico pelo viés do pensamento.

 

Cristiane Brito de Oliveira

Título:Representações da mulher oriental: orientalismo e literatura

Orientador: João Camillo Penna Páginas:117



A pesquisa aqui apresentada tem como objetivo demonstrar a existência e introduzir o estudo do estereótipo da mulher oriental. Geralmente quando se fala em mulher oriental se tem um conceito já formado, que cabe aqui questionar: de onde vem esse modelo, ou melhor, como esse modelo se solidificou a ponto de se tornar uma referência unânime pelo menos na literatura ocidental? Para isso, dois romances escritos no século XIX são estudados, período em que a mulher oriental estava no auge: Carmen de Prósper Mérimée e Salomé de Oscar Wilde. Juntamente com o modelo de mulher oriental, um outro, o de mulher fatal é também estudado. Sendo assim, esta pesquisa tem por objetivo, demonstrar que a mulher oriental é uma criação, aqui no caso, uma criação literária que se solidificou de tal maneira, que é quase impossível falar de Cleópatra ou Salambô, sem nos reportarmos a uma figura já definida, com pele levemente acobreada, um belo corpo, olhos intrigantes, gestos desafiadores, mas principalmente, com uma sensualidade imponente, acrescida, é claro, de um cenário quente no qual o derramamento de sangue é um elemento fundamental.

 

Deize Mara Ferreira Fonseca

Título:Sentir com a imaginação: Edgar Allan Poe, Augusto dos Anjos e um gótico moderno

Orientador: Vera Lucia de Oliveira Lins Páginas: 122


A partir de uma teorização sobre o Gótico, esta dissertação visa discutir a poética de Edgar Allan Poe, ressaltando seus aspectos góticos; como inauguradora da modernidade literária, ao estabelecer a postura crítica do poeta e o predomínio da imaginação criadora como elementos norteadores de seu projeto literário. O suporte teórico vem da analítica de Immanuel Kant sobre o Belo e o Sublime, dos princípios de crítica de arte estabelecidos pelo Primeiro Romantismo Alemão, em especial pelos fragmentos de Novalis e dos estudos do poeta francês Charles Baudelaire sobre Edgar Allan Poe. O poeta brasileiro Augusto dos Anjos recebe uma leitura comparada com Edgar Allan Poe, bem como uma análise de sua obra, centrada sobretudo nos pressupostos góticos apresentados ao longo deste trabalho. O eixo principal da dissertação é a análise e o comentário de poemas dos dois autores estudados, culminando com uma leitura comparativa de poemas de ambos, cuja abordagem da temática gótica utiliza elementos semelhantes.

 

Flavio Pereira Senra

Título:A herança do período naturalista nas letras do século XX

Orientador: Eduardo de Faria Coutinho Páginas:114


Reflexão de cunho comparatista acerca da influência do período naturalista na literatura produzida no século XX. Para a análise, são feitos três cortes: João do Rio (início do século XX), Nelson Rodrigues (metade do século XX) e Rubem Fonseca (meio-final do século XX).

 

Giovane da Silva Santos

Título:O jogo da escrita poético-filosófica de Drummond em sua produção em verso e prosa


 

José Eduardo Marques de Barros

Título:Passagens ao poético: a correspondência de Paul Celan e Gisèle Celan-Lestrange

Orientador: Vera Lins Páginas: 129


Estudo sobre a correspondência do poeta Paul Celan com sua mulher Gisèle Celan-Lestrange, visando encontrar, nas cartas, as passagens ao poético. Passagens que nos trazem as invenções celanianas e o surgimento dos poemas. A correspondência como “escrita de vida”, enquanto um lugar de construção e experiência da bio-grafia. Cicatricement, cicatriz sempre em movimento, verdadeiro operador da escrita celaniana. A estreita relação da poética de Paul Celan com a questão da melancolia.

 

Juliana Nascimento Berlim Amorim

Título:radução do alemão para o português do livro Alte Meister, de Thomas Bernhard, antecedida de ensaio introdutório

Orientador: Fabio Akcelrud Durão Páginas: 249


Tradução do livro Alte Meister, de Thomas Bernhard, do original alemão para o português do Brasil, complementado por ensaio introdutório. Exercício tradutológico, realizado a partir do original alemão e seu cotejo com as traduções francesa e estadunidense. Ensaio discorrendo sobre os seguintes temas: a importância do espaço dentro do livro; apreciação do museu tanto quanto espaço físico quanto espaço ideológico; onipresença do Estado austríaco no espaço do Museu de História da Arte; ponderações sobre o lugar da obra de arte no panorama do capitalismo tardio, em particular dentro do contexto da Áustria; a Áustria e a permanência de seu recente passado histórico; o perfil patologicamente adulterado das personagens centrais masculinas, sua relação entre si, tanto emocional quanto socialmente, suas relações com o feminino e a natureza; a arte da crítica; o intercâmbio entre crítica e arte e os diálogos entre as diversas manifestações artísticas. A conclusão confere importância ao processo de tradução no Brasil de obras de língua alemã, visto que a cultura germanófona segue afastada da maior parte dos brasileiros e seus documentos culturais são de difícil acesso, devido, sobretudo, a fatores financeiros e lingüísticos. Constatou-se que, dada a relevância do nome de Thomas Bernhard no cenário literário mundial, a tradução de Alte Meister se fazia premente, haja vista o alto nível de discussão filosófico-teórico-estética desenvolvida no texto.

 

Lina Arao

Título:A trajetória da utopia em Jorge Icaza e Manuel Scorza

Orientador: Eduardo de Faria Coutinho Páginas: 117


A América Latina caracteriza-se, entre outras peculiaridades, por uma grande diversidade cultural, que se expressa freqüentemente por uma relação desigual de poder entre seus diferentes grupos culturais. As tensões geradas pelo choque de interesses de cada um desses grupos e pelas contradições entre a vida cotidiana dessa população e o seu desejo de uma sociedade mais igualitária criam condições favoráveis para o surgimento de um pensamento utópico. Nesta dissertação, procuraremos mostrar, através de uma perspectiva comparatista, como a questão da utopia é tratada em três romances da região andina que têm como eixo a figura do indígena – Huasipungo, do equatoriano Jorge Icaza, Redoble por Rancas e La tumba del relámpago, os dois últimos do peruano Manuel Scorza. Para esse fim, traçaremos a trajetória do pensamento utópico nas três obras e examinaremos as relações entre esta questão e a gradativa tomada de consciência do indígena a respeito da exploração a que sempre esteve sujeito e de seu papel na sociedade. No romance de Icaza, apesar da simpatia devotada à figura do indígena, este é visto como incapaz de refletir ou agir, o que o impossibilita de desenvolver um pensamento utópico. Já em Redoble por Rancas, começa a surgir um processo de conscientização política, dando origem a uma espécie de “potencial revolucionário”, a uma reflexão sobre formas de se transcender a realidade, e em La tumba del relámpago desenvolve-se, finalmente, uma utopia, sob a forma de um impulso na direção de uma revolução socialista.

 

Luís Henrique Nobre de Miranda

Título:Livros-objeto - fala-forma

Orientador: André BuenoPáginas: 139


Análise crítica de uma série de trabalhos realizados pelo artista plástico Waltercio Caldas denominados de Livros-objeto, constituídos a partir de elementos advindos de dois sistemas de linguagem, a escrita e a imagem. Contextualização deste segmento de produção no espaço contemporâneo e conceituação da leitura que este tipo de trabalho sugere.

 

Mariana da Silva Lima

Título:No jardim das cerejeiras: metamorfoses do drama na virada do século XIX

Orientador: André Luís de Lima Bueno,Páginas: 117


 

Marianna Waltz

Título:Teoria crítica na era da indústria cultural ou uma análise da derrota do esclarecimento

Orientador: André Luiz de Lima Bueno Páginas:126


Este trabalho tem o objetivo analisar a teoria crítica da sociedade e o pensamento dos intelectuais da Escola de Frankfurt – Adorno, Horkheimer, Marcuse e Benjamin –, com foco no desenvolvimento da sociedade capitalista industrial e de sua razão tecnológica, assim como no crescente aperfeiçoamento dos mecanismos da Indústria Cultural. O texto avalia a percepção dos autores sobre a tecnologia e a arte e sobre questões como o fetiche da mercadoria, o estabelecimento da divisão entre horas de trabalho e lazer, os mecanismos de manipulação dos indivíduos, a falsa democracia das massas, entre outras. Capítulo a capítulo é possível acompanhar as motivações para o pessimismo que caracteriza a fase final da teoria de Frankfurt e que também a torna alvo de suas maiores críticas.

 

Mercedes Formigo Fariña

Título:Por uma leitura literária crítica e transformadora na escola de 1º grau

Orientador: André Luiz de Lima BuenoPáginas: 171


O ensino da leitura como fonte de crescimento e de transformação pessoal e social. Políticas públicas de leitura. Multiplicar leituras e leitores como produto de um planejamento escolar co letivo. A apropriação da cultura das elites como direito de todos os cidadãos. A escolarização adequada da leitura como papel e função de todos os professores. Reflexão sobre a prática docente e discente. A impo rtância das salas de leitura. Leitura: diálogo permanente, arma interativa, inclusiva e transformadora do sujeito-leitor.

 

Milton Reis Cunha Junior

Título:Paraísos e infernos na poética do enredo escrito de Joãosinho Trinta

Orientador: Frederico Augusto Liberalli de Góes Páginas: 166


Análise de dez narrativas do carnavalesco Joãosinho Trinta, apresentadas para julgamento no quesito enredo, no desfile das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro, selecionadas no contexto de seus trinta de carreira, com o objetivo de mapear a recorrência dos núcleos temáticos de sua poética. O autor é o responsável pela introdução do elemento fantástico na construção dos enredos apresentados no desfile das escolas de samba.

 

Raiff Magno Barbosa Pereira

Título:Eu canto, corro, grito, rio e nunca chego a ti” A imagética materna em Caetano Veloso.


 

Ricardo Alexandre Rodrigues

Título:A poética da desutilidade: um passeio pela poesia de Manoel de Barros

Orientador: Alberto Pucheu Páginas: 100


A presente dissertação é resultado de excursões feitas pela poesia de Manoel de Barros que nos chama atenção pela sintaxe fragmentada e pela contemplação de temas sem prestígio social, dentre eles a inutilidade e ociosidade dos objetos. Serão apresentadas aqui reflexões sobre a transfiguração de elementos triviais (prosaicos) e sem importância na sociedade em matéria poética. Pois, uma sociedade pautada no imediatismo e no utilitarismo, torna-se particularmente interessante investigar a presença de coisas sem préstimo na poesia. Nessa invertida será apontado o exercício de alargamento do horizonte das percepções praticado pelo poeta. Aparece assinalada nestas discussões a consciência crítica apresentada por Barros em seus escritos, o que confere a muitos de seus poemas a designação de metapoesia. A experiência de leitura dos mesmos nos convida a repensar nossos entendimentos sobre a escrita literária, sugerindo jogos de intertextualidade com pensadores da crítica literária. As idéias aqui propostas estão alinhavadas pelo pensamento barthesiano que se mostra como pólo de convergência das idéias da crítica literária contemporânea. Por fim, instigada pelas provocações de Manoel de Barros, esta dissertação pretende contribuir para ressaltar o indiscernimento existente entre poesia (a arte de modo geral) e pensamento.

 

Rogério Brambila de Carvalho

Título:A ciência do real e a poiésis

Orientador: Manuel Antônio de Castro Páginas: 100


 

Sheila de Almeida Machado

Título:Espacialidades cósmicas e histerias cronológicas: caminhos de gerações e utopias em Viva o povo brasileiro e Cem anos de solidão

Orientador: Eduardo de Faria Coutinho Páginas: 109


Partindo de um diálogo entre os romances Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez, e Viva o povo brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro, esta dissertação se propõe estudar a relação entre o discurso literário e a construção de identidades na América Latina. Para isso, tomou-se como eixo a organização estrutural do tempo e do espaço em ambas as narrativas e a maneira como esses elementos se combinam para expressar a visão de mundo do autor. Examinaram-se também os principais eixos temáticos dos romances – as noções de geração e utopia --, bem como as suas relações com a questão da construção da nação, no caso da obra brasileira, e do continente latino-americano como um todo, no caso do livro de García Márquez. Embora não haja dúvida de que ambas as obras apresentam fortes denominadores comuns, verificou-se uma diferença significativa no que diz respeito à proposta do autor: enquanto em Cem anos de solidão, predomina um discurso anti-utópico, por meio do qual se vislumbra uma América Latina cuja identidade é marcadamente agônica e solitária, em Viva o povo brasileiro há um certo movimento utópico em que transparece a idéia de um Brasil em plena ascensão e regido pela esperança.

 

Venus Brasileira Couy

Título:Escritas do corpo

Orientador: Ana Maria Amorim de Alencar Páginas: 222


Este trabalho busca articular o corpo e a escrita. Território de passagem, espaço de produção de sentido e de discurso, o corpo constitui-se como suporte para a arte e para a escrita. As escritas do corpo se dão a ver na literatura, nas artes plásticas, na filosofia, na psicanálise, no cinema, na medicina, na arquitetura, na pedra da pólis, na carne do corpo, corpus, no qualencontramos as modificações corporais, as cirurgias plásticas, as queimaduras, as auto-mutilações, os implantes, as escarificações e as tatuagens.

 

Vitor Henriques

Título:Razão e sensibilidade em Nietzsche e Fernando Pessoa: sobre pensamento afetivo e emoção intelectual

Orientador: Ronaldes de Melo e Souza Páginas: 92


A dissertação apresenta um a antologia de passagens e fragmentos das obras de Nietzsche e Fernando Pessoa em torno das noções que ambos conferem à razão e à sensibilidade. Estas são entendidas através de uma complementaridade, levando-nos a defender a idéia de que a razão em Nietzsche é sempre uma razão afetiva, da mesma maneira que as sensações em Pessoa são sempre sensações racionalizadas. Volta-se para a teoria estética de Fernando Pessoa; nela, o poeta aponta para um trabalho racional frente às emoções que se pretendem poéticas, o que o leva a falar de uma “intelectualização das sensações”, logo, de emoções racionais. Esse contorno intelectual sobre as sensações também é visto em Nietzsche, com suas noções de “homem nobre” e de um pensamento movido por afetos.

 

Coordenação

Coordenadora: Profª. Flavia Trocoli

Vice-coordenador:Prof. Alberto Pucheu

Atendimento: Noêmia Costa
posciencialit@letras.ufrj.br

Contate-nos

O PPGCL tem sede no campus da Faculdade de Letras da UFRJ. Saiba nosso endereço clique aqui.

Endereço

Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura - PPGCL
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F. 323
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ

ATENDIMENTO AO PÚBLICO


Terça-feira e quinta-feira 9h às 13h

Quarta-feira 9h às 16h