Nesse período foram apresentadas 13 dissertações. 

Dissertações de 2009
 

Carlos Eduardo S. da Cruz

Título: "Pouca luz em muitas trevas Euríco Presbítero do liberalismo português.



 

Daniela de Araújo Vieira

Título: Alegorias da cegueira

Orientador: André Luis Lima Bueno Páginas: 213



Nessa dissertação, pretendemos analisar como se configura a forma literária em "Ensaio sobre a Cegueira", de José Saramago, visando levantar dessa especificidade como o processo social emerge. Assim, quanto mais concentramos nossa análise no enredo, no narrador e nas personagens principais da trama, enfim, na ficção montada, no mundo particular, mais vemos projetado o universal, mediante a instauração da violência como ordem vigente na cidade fictícia, causada pela total destruição do Estado de Direito e conseqüente predomínio do Estado de Exceção como lei da selva. Dessa facilidade de romper os limites entre civilização e barbárie ensaia-se a reflexão e, porque não, a revisão de uma série de questões inerentes à condição humana na sociedade do capitalismo avançado, traduzidas pelas várias formas de alegorias da cegueira: a despolitização da polis impulsionando -a para um retorno à ordem primitiva , as várias formas de organização do Contrato Social, as relações entre o indivíduo e o coletivo, dentre outras.

 

Gilson Ribeiro da Silva

Título: O ocultismo na obra de Éliphas Lévi Zahed

Orientador: Antônio José Jardim e Castro Páginas: 93



Este trabalho consiste em um esforço de síntese da obra do filósofo ocultista Éliphas Lévi Zahed, no que concerne à sua teoria sobre os conhecimentos que regem secretamente a vida do homem e do universo. Para tal, foram pontua dos os elementos mais significativos desse conhecimento, sendo eles: a Cabala, o Hermetismo e a Ciência dos Números.

 

Natasha Alves Carvalho de Castro Rüb

Título: A ética e a estética da dor: um olhar para Fogo Morto, de José Lins do Rego

Orientador: Ronaldo Lima Lins Páginas: 150



A partir dos conceitos de ética e estética podemos delinear as representações da dor na arte. A ética é estudada e por vezes entendida como “moral”. Essa mesma, representada na arte, delineia o conceito de estética, que vem sofrendo grandes transformações ao longo dos séculos. A experiência estética que valorizava o belo, como valores morais e físicos, agora, concerne tudo que suscite algum tipo de epifania ao sujeito receptor. Em meio a essas definições, no romance Fogo Morto, de José Lins do Rego, podemos ver as formas de dor e de sublimação de seus personagens mergulhados na paisagem e na condição de vida precárias.

 

Marcos da Silva Coimbra

Título: Rosa na telona - a hora e a vez da imagem em movimento



 

Milla Benício R. de Almeida

Título: "A caverna", de José Saramago: uma narração além do romance histórico



 

Mariana Quadros Pinheiro

Título: Na fenda dos dias: leituras a partir de algumas datas na obra de Armando Freitas Filho

Orientador: João Camillo Barros de Oliveira Penna Páginas: 153



Este trabalho busca iluminar as fraturas instauradas pelas marcas do calendário dispersas pela obra de Armando Freitas Filho. Para tanto, discutimos as relações e as dissociações entre o tempo crônico, registrado por algumas datas, e o tempo lingüístico, desenvolvido nos textos redigidos pelo poeta carioca. Os diferentes procedimentos de datação na obra de Freitas Filho nos levam a analisar, em três ensaios, os vários registros sugeridos pelas datas, sempre de forma lacunar. A leitura da inscrição instersticial de história, sujeito e vida é guiada por aquelas marcas resistentes à significação. Na fenda dos dias, seguimos os vestígios da cronologia.

 

Raul M. Borges

Título: Chico Buarque em três tempos: canção, teatro, ficção



 

Rosinéia de Jesus Ferreira

Título: Die Verwandlung: O mundo administrado



 

Samara Rodrigues de Ataide

Título: Vozes femininas presentificadas em 'O canto das lavadeiras'

Orientador: João Camillo Barros de Oliveira Penna Páginas: 98



 

Sonia Branco Soares

Título: Pensamento e crítica na Rússia oitocentista: preâmbulos de uma revolução



 

Tatiana Maria Gandelman de Freitas

Título: Alétheia, Eídolon, Mímesis: verdade, simulacro e crise da representação em Platão

Orientador: Alberto Pucheu Neto Páginas: 108



A presente dissertação de mestrado aborda a questão platônica da crise da representação(mímesis) nas artes, que está presente no seu pensamento e permance até nossos diascom o mesmo vigor. Para tanto, é imprescindível analisarmos o conceito de verdade platônica, bem como as categorias de cópia, imagem, simulacro e representação. Através de alguns diálogos escolhidos, pretendemos mostrar como Platão articula seu pensamento, colocando em questão a sofística, a poesia e a pintura, como garantia do triunfo da filosofia.

 

Vinícius Carvalho Pereira

Título: Literatura e abjeção: um estudo da imagem das fezes na obra de Rubem Fonseca

Orientador: Ana Maria de Amorim Alencar Páginas: 136



A obra de Rubem Fonseca é notória pela temática do baixo e do maldito, envolvendo as esferas da violência, do erotismo e d a abjeção. As duas primeiras instâncias têm sido muito estudadas no meio acadêmi co, havendo ampla discussão de seu rendimento literário. A esfera do abjeto, no en tanto, tem sido tratada com repulsa pelos próprios críticos, que, na maioria das vezes, a ignoram ou a subestimam. Este trabalho propõe, pois, uma análise do hórrido corpo ral na ficção fonsequiana, tomando como objeto principal de estudo uma recorrente imag em dos contos e romances do autor: as fezes. Discutindo suas dimensões literári a, psicanalítica, filosófica e cultural, esta pesquisa contribui para a compreensão de como o discurso do corpo torna-se matéria artística no corpo do discurso fonsequiano, especialmente no que tange ao secret(ad)o bolo fecal.

 

Coordenação

Coordenadora: Profª. Flavia Trocoli

Vice-coordenador:Prof. Alberto Pucheu

Atendimento: Noêmia Costa
posciencialit@letras.ufrj.br

Contate-nos

O PPGCL tem sede no campus da Faculdade de Letras da UFRJ. Saiba nosso endereço clique aqui.

Endereço

Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura - PPGCL
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F. 323
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ

ATENDIMENTO AO PÚBLICO


Terça-feira e quinta-feira 9h às 13h

Quarta-feira 9h às 16h