Discente: Rayi Kena Ferraz da Cunha de Souza Teixeira

Título da dissertação: Elogio à repetição: Matilde Campilho & Marília Garcia

Orientador(a): Eduardo dos Santos Coelho

Ano da defesa: 2020

Páginas: 131

Resumo:

A hipótese que esta pesquisa apontasurge da releitura de três obras contemporâneas de poesia em língua portuguesa: Jóquei (2015) de Matilde Campilho, Um teste de resistores (2014) e Parque das ruínas (2018) de Marília Garcia. A partir de uma leitura cerrada do texto poético levantamos a teoria de que a repetição enquanto recurso criativo para o emprego de efeitos poéticos aparece nas duas escritoras de maneira bem distintas mas igualmente significativas em cada obra, ao ponto de tornar-se um possível ponto de vista para uma leitura analítica. Observamos durante a pesquisa de que modo a repetição em Matilde Campilho funciona como uma via de estratégias reutilizáveis de escrita, recaindo, por vezes, no que acreditamos ser uma espécie de fórmula de conjunto semelhantes (graças ao reuso intenso de suas próprias táticas pessoais de escrita).Já em Marília Garcia, acreditamos, a repetição aparentemente supera o caráter eminentemente linguístico e estilístico da figura de linguagem e alcança um extrato de meio de expressão em si. A poeta carioca para operar largamente a metatextualidade e a conceptualização de seus textos se vale da repetição obsessiva e da reiteração reflexiva enquanto instrumentos não só de escrita, mas de sua própria percepção de mundo. Ao sairmos do “close reading” para lermos essas autoras contemporâneas, o que esperamos enquanto resultado é a potencialização de ambas poéticas num terreno que vem sendo deixado de lado mas que ainda possui, como buscamos demonstrar, uma grande riqueza analítica.

Palavras-chave: Matilde Campilho; Marília Garcia; poesia contemporânea; repetição; close reading.

Abstract:

The hypothesis this research points out arises from the re-reading of three contemporary works of poetry in Portuguese: Jóquei (2015) by Matilde Campilho, Um teste de resistores (2014) and Parque das ruínas (2018) by Marília Garcia. From a close reading perspective of the poetic text we raise the theory that “repetition” appears as a creative resource for the use of poetic effects in the two writers in very different ways but equally significant in each work, to the point of becoming a possible point of viewfor an analytical reading for us. We observed during the research how repetition in Matilde Campilho works as a route for reusable writing strategies, sometimes falling into what we believe to be a kind of similar set formula (thanks to the intense reuse of her own personal writing tactics). In Marília Garcia, we believe, repetition apparently overcomes the eminently linguistic and stylistic character of the figure of speech and reaches an extract of the means of expression itself. The poet from Rio de Janeiro, to achieve the metatextuality and conceptualization of her texts, largely relies on obsessive repetition and reflexive reiteration as instruments not only for writing, but for her own perception of the world. Using "close reading" to approach these contemporary authors, what we hope as a result is to potentialize both poetics in a field that has been put on a corner in Brazilian literary studies but that still has, as we try to demonstrate, a great analytical wealth.

Keywords: Matilde Campilho; Marília Garcia; contemporary poetry; repetition; close reading.

Coordenação

Coordenadora: Profª Priscila Matsunaga

Vice-coordenadora: Prof. Marcelo Jacques de Moraes

Contate-nos

O PPGCL tem sede no campus da Faculdade de Letras da UFRJ. Saiba nosso endereço clique aqui.

Endereço

Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura - PPGCL
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F. 323
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ

ATENDIMENTO AO PÚBLICO


Terça-feira e quinta-feira 9h às 13h

Quarta-feira 9h às 16h